*Por Augusto Zadra 

Em tempos de pandemia, uma novidade deste novo século, quem diria que passaríamos por uma transformação digital forçada em um curto espaço de tempo. Com o isolamento social, todos já acordam conectados e a maneira mais fácil de se comunicar com as pessoas mediante o grande risco que se corre neste momento único na história é através da Internet. A naturalidade na utilização de tecnologias pelas novas gerações e a divulgação em amplo alcance estão contagiando e facilitando a inserção de novas pessoas na utilização de serviços digitais. As atividades corriqueiras com o companheiro inseparável, o celular, irão, certamente, transformar a vida de quem ainda não tinha experimentado as facilidades e vantagens da utilização de tecnologias simples e alcançáveis. 

Os profissionais da área da Tecnologia da Informação estão na retaguarda desta transformação, sejam eles responsáveis por conectividade (o amiguinho que sobe no poste), infraestrutura e suporte (quando algo não funciona você entra em contato com ele), desenvolvimento de soluções ou aplicação de ideias (que pode ser qualquer um de nós) melhorando as possibilidades para a inclusão digital de todos. Em uma breve análise sobre interação em tempo real, seja ela para trabalhos virtuais ou simplesmente para matar a saudade de uma pessoa querida, é necessário perceber a mudança cultural que tem ocorrido e a chance de que ela se mantenha após este período. 

Nossos cursos na área do TI acompanham a evolução e por aqui a educação do futuro já chegou! Clique para saber mais sobre nossos cursos. 

Percebe-se claramente o benefício do investimento em infraestrutura em um país continental como o Brasil e claramente ilumina-se com holofotes bem potentes as diferenças sociais entre as regiões. Nos locais onde a infraestrutura de conectividade é mais robusta temos todos conectados o tempo todo o que, neste primeiro momento, trouxe desafios para trabalhadores e negócios de todos os tipos – principalmente os que tem a possibilidade de ser virtual, de se adaptarem de forma a continuar produzindo suas atividades mesmo sem a presença física em um local. Já no meio rural, fica claro que ainda há muitas limitações que precisam ser superadas em um curto espaço de tempo, o que lança novos desafios para empresas e profissionais de todas as áreas. Reflete-se assim, observando o monitoramento em tempo real desta pandemia, qual a interferência que a falta de infraestrutura nesses locais tem na descrição da realidade.

A nova realidade de interação em tempo real e virtualizada, para atividades profissionais e acadêmicas, modificará os planos para o futuro. Haverá certamente estímulo a negócios e atividades que hoje se entendiam puramente presencial para extensões virtuais. Destaca-se principalmente o que está acontecendo com os serviços digitais oferecidos pelo Governo que reduz custos e melhora o atendimento ao cidadão. Nas empresas privadas, o destaque são os bancos, onde observa-se uma nova oferta de serviços para evitar o deslocamento das pessoas. Percebe-se como este estímulo é pertinente também na cadeia logística que agora passa a ter grande importância para o funcionamento de tudo, desde a distribuição de alimentos (essencial) até a entrega do lacinho de cabelo que você comprou para dar de presente pela internet.

Enfim chegamos à implantação forçada da cultura digital!

*Augusto Zadra é Professor na Faculdade Promove e na PRODEMGE.

Leia mais
Carregar mais Carreiras

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Faculdades Promove e Kennedy fazem parceria com Insea para projetos de consciência socioambiental

As Faculdades Promove e Kennedy, de Belo Horizonte, firmaram uma parceria com o Instituto …